Aṅguttara Nikāya 8.7

Devadattavipatti Sutta

O Fracasso de Devadatta

Certa ocasião o Abençoado estava em Rajagaha na montanha do pico do abutre não muito tempo depois que Devadatta havia partido. Lá ele se dirigiu aos bhikkhus com referência a Devadatta:

“Bhikkhus, é bom que de tempos em tempos um bhikkhu revise os seus próprios fracassos. É bom que de tempos em tempos ele revise os fracassos dos outros. É bom que de tempos em tempos ele revise os seus próprios êxitos. É bom que de tempos em tempos ele revise os êxitos dos outros. Por estar tomado e obcecado por oito condições ruins, Devadatta está destinado para os planos inferiores, destinado ao inferno, e ele ali permanecerá por um eon, irremível. Quais oito?

(1) Por estar tomado e obcecado pelo ganho, Devadatta está destinado para os planos inferiores, destinado ao inferno, e ele ali permanecerá por um eon, irremível. (2) Por estar tomado e obcecado pela perda … (3) Por estar tomado e obcecado pela fama … (4) Por estar tomado e obcecado pela má reputação … (5) Por estar tomado e obcecado pela honra … (6) Por estar tomado e obcecado pela deshonra … (7) Por estar tomado e obcecado pelos desejos ruins … (8) Por estar tomado e obcecado pelas amizades ruins, Devadatta está destinado para os planos inferiores, destinado ao inferno, e ele ali permanecerá por um eon, irremível. Por estar tomado e obcecado por essas oito condições ruins, Devadatta está destinado para os planos inferiores, destinado ao inferno, e ele ali permanecerá por um eon, irremível.

“É bom para um bhikkhu superar o ganho onde quer que este surja. É bom para ele superar a perda onde quer que esta surja … superar a fama … a má reputação … a honra … a deshonra … os desejos ruins … as amizades ruins onde quer que estas surjam.

“E por qual razão um bhikkhu deveria superar o ganho onde quer que este surja? Por qual razão ele deveria superar a perda … a fama … a má reputação … a honra … a deshonra … os desejos ruins … as amizades ruins onde quer que estas surjam? Aquelas impurezas, aflitivas e febris, que podem surgir naquele que não superou o ganho que surgiu, não ocorrem naquele que superou o ganho. Aquelas impurezas, aflitivas e febris, que podem surgir naquele que não superou a perda … a fama … a má reputação … a honra … a deshonra … os desejos ruins … as amizades ruins que podem surgir naquele que não superou as amizades ruins que surgiram, não ocorrem naquele que superou as amizades ruins. Por essa razão um bhikkhu deve abandonar o ganho sempre que este surgir. Ele deve abandonar a perda … a fama … a má reputação … a honra … a deshonra … os desejos ruins … as amizades ruins sempre que estas surgirem.

“Portanto, bhikkhus, assim vocês devem treinar: ‘Nós superaremos o ganho sempre que este surgir. Nós superaremos a perda … a fama … a má reputação … a honra … a deshonra … os desejos ruins … as amizades ruins sempre que estas surgirem.’ Assim é que vocês devem treinar.”